Categorias
Solidariedade

CMP transforma ocupação em espaço de solidariedade no Centro de São Paulo

Em tempos de grave crises sanitária, econômica, política e social como a que o país enfrenta por causa do projeto ultraliberal e a pandemia do novo coronavírus, os movimentos populares urbanos são grande exemplo de solidariedade para com o povo empobrecido e explorado pelo capitalismo e a especulação imobiliária.

O casal Lisiene Aparecida Costa e José Sabino Martins, moradores da ocupação da rua Martins Fontes, 180, no Centro da Capital de São Paulo, é exemplo dessa solidariedade de classe. Na ocupação, num prédio de nove andares, residem desde 02 de outubro de 2011, 45 famílias sem teto. É uma ocupação coordenada pelo Movimentos de Moradia do Centro (MMC), filiado à CMP.

Desde que foi estabelecido o isolamento social como forma de diminuir os risco da contaminação pela Covid-19, as pessoas que vivem situação de rua – e que antes da chegada da Covid-19 tinham como meio de sobrevivência restos de comida ou até mesmo ajuda de restaurantes e bares – têm agora aumentadas suas necessidades devido à diminuição do fluxo de pessoas que circulam diariamente pela região central de São Paulo, em razão do fechamento do comércio, lojas e repartições públicas. Essas famílias ficaram à mercê da própria sorte.

Sensibilizados com a situação dessas pessoas, Lisiene e José Sabino resolveram arregaçar as mangas e, com a ajuda dos próprios moradores e de restaurantes do entorno onde conseguem doações, começaram no dia 03 de abril na ocupação, a fazer e servir almoço e sopa no jantar, ambas em marmitex, uma forma mais prática e também uma medida para se evitar o contato, uma medida recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Lisiene conta que “na primeira semana foram atendidas 20 pessoas no almoço e 35 no jantar, mas hoje estamos distribuindo as marmitas dia sim dia não, com uma demanda de atendimento de quase 70 pessoas por dia”.

Para Gegê, membro da direção nacional da CMP e coordenador do MMC, a iniciativa “é fundamental e demonstra a solidariedade de classe, o que é muito importante diante das omissões dos governos com a situação do povo de baixa renda, desempregado ou em situação de rua”.

“Nós, dos movimentos populares, estamos enfrentando as dificuldades ao lado do povo brasileiro, como sempre fizemos, mas é preciso os governos cumprirem com suas responsabilidades”, destaca Raimundo Bonfim, coordenador nacional da Central de Movimentos Populares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s