Categorias
Lutas Solidariedade

Movimentos populares ultrapassam 75 mil cestas doadas em semana marcada por pedido de impeachment de Bolsonaro

Mais 12.500 cestas básicas foram distribuídas em todo o Brasil nesta semana pela Campanha Movimentos Contra Covid-19, liderada pela Central de Movimentos Populares (CMP), por meio de suas filiadas. A campanha, que integra a rede de solidariedade “Vamos Precisar de Todo Mundo”, das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo”, está presente em 20 estados da federação. Com as doações e distribuição dessa semana, o total de cestas entregues soma agora 76.629, o que corresponde a 1.532 toneladas de alimentos, além de 19.422 marmitex e 6.410 máscaras de proteção.

A CMP tem concentrado esforços para promover a solidariedade e engrossar a campanha de arrecadação e distribuição de alimentos e produtos de limpeza e higiene, num momento em que a contaminação pelo coronavírus tem aumentado rapidamente, principalmente entre a população em situação de vulnerabilidade. Na última quinta-feira (21/05), o Brasil ultrapassou 21 mil mortes pela Covid-19 e atingiu mais de 330 mil pessoas contaminadas. São dados oficiais, mas especialistas e autoridades da área de Saúde afirmam que, infelizmente, esses números estão defasados, diante da subnotificação dos casos.

Em meio ao crescente números de mortes e contaminados, continua o atraso do pagamento do auxílio emergencial e o governo ainda não tomou medidas concretas para preparar a rede hospitalar e nem colocou em prática ações de proteção do emprego, renda e apoio a pequenas, médias empresas e ao pequeno comércio informal. Para tentar mitigar os efeitos da pandemia, um dos remédios é a solidariedade de classe. 

#ForaBolsonaro, #ForaMourão

A CMP e mais 400 entidades, movimentos populares, sociais, estudantis e sindicais, além do PT, PCdoB, PSOL, PSTU, PCB, PCO e UP, artistas, juristas, intelectuais e lideranças políticas, protocolaram nesta quinta-feira (21) o primeiro pedido coletivo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro à Câmara dos Deputados. A novidade é que esse é um pedido de impeachment suprapartidário e de diversos setores dos movimentos populares, entre eles a CMP.

Entre os principais crimes cometidos por Bolsonaro, os autores do pedido de impeachment elencaram crimes de responsabilidade, contra a saúde pública e a ordem democrática, além de adotar conduta genocida e omissiva diante da pandemia do coronavíuus, que tem levado à morte milhares de pessoas. “Mas seu maior crime é atentar contra a saúde e vida das pessoas”, destaca Raimundo Bonfim,  coordenador nacional da CMP e um dos signatários do impeachment. 

O Brasil está sob a  batuta de um  ultraneoliberal, fundamentalista, homofóbico, machista e genocida, desumano e cruel. “Não tem outro caminho, ao não ser fora Bolsonaro e fora Mourão”, ressalta Bonfim.

O próximo passo da CMP e dos demais movimentos e partidos é iniciar um grande movimento nacional de pressão popular e na opinião pública, o suficiente para se obter êxito nessa nova jornada de luta. “Fora Bolsonaro, Mourão e seu governo genocida”, defende a CMP.

Periferização do coronavírus

Mais uma pesquisa mostra que moradores de favelas, cortiços, ocupações e periferias são as mais afetadas pela pandemia da Covid-19. Atualmente, 13,6 milhões de brasileiros vivem em favelas. Um levantamento feito em 231 comunidades pelo Instituto Locomotiva, divulgada no último dia 21, revela que o impacto econômico  chegou mais rápido nas favelas. Mais da metade dos moradores é informal; 46% vivem da renda de um negócio próprio; e 15% abriram um novo negócio nos últimos 12 meses, aponta a pesquisa.

A CMP tem exigido medidas imediatas dos governos voltadas para amenizar os impactos que a pandemia tem causado entre os segmentos mais vulneráveis. Ainda segundo a pesquisa, o auxílio emergencial é insuficiente para o sustento das famílias e, muitas vezes, nem chega. Não são poucos os relatos de pessoas necessitadas que não receberam o auxílio. O estudo aponta ainda que a maior parte dos comerciantes de favelas não tem ideia de como conseguir algum auxílio financeiro do governo para ajudar a manter seu pequeno negócio e boa parte deles procurou e não conseguiu.

Antes da chegada da pandemia no país, os movimentos populares alertaram e cobraram das autoridades políticas públicas medidas para proteger as pessoas em situação de vulnerabilidade. O auxílio emergencial é importante e os movimentos por ele, mas é pouco. “Precisamos de ações mais efetivas de manutenção do emprego e da renda, que garantam que as pessoas fiquem em casa enquanto durar a quarentena”, assinala Raimundo Bonfim.

A CMP segue com arrecadação de recursos para ajudar os grupos mais vulneráveis afetados pela Covid-19,  por meio de uma vakinha on line. Para acessar contribuir, basta acessar: http://vaka.me/978192

Para se somar à esta campanha, doando ou organizando pontos de arrecadação e distribuição, basta entrar em contato com a Secretaria Nacional da CMP: (11) 5594-3670 ou pelo e-mail: cmpnacbr@gmail.com

Todas as propostas e iniciativas dos movimentos populares para combater a Covid-19, cobrar as responsabilidades do Estado, bem como os locais disponíveis de arrecadação e distribuição de produtos estão no site https://movimentoscontracovid19.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s