Categorias
Lutas

Movimentos populares na luta por Fora Bolsonaro

No próximo sábado, dia 29/5, os movimentos populares estarão nas ruas de todo o país para lutar pelo Fora Bolsonaro e em defesa da vida. Precisamos combater essa aliança genocida entre o presidente e a COVID-19, que está matando nosso povo, de doença e de fome. Já são 139 manifestações confirmadas em todo o Brasil e no exterior. Os atos vão respeitar todas as medidas sanitárias, como distanciamento social e uso de máscaras de proteção. Precisamos nos unir para dar um basta no genocídio. Fora Bolsonaro!

✊🚩 139 Atos Confirmados – 29M em todo o Brasil e no exterior 🇧🇷 ✊
(Última atualização 26/05 | 22h15)
Sistematização: Central de Mídia das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo

🔺 Não esqueça:
😷 Máscara (leve mais de uma)
💦 🙏🏽 Álcool em gel
🚶🏻‍♀️ 🚶🏿 🚶🏿‍♀️Mantenha o distanciamento social no ato

Norte
AC – Rio Branco – Palácio Rio Branco | 17h
AM – Manaus – Praça da Saudade | 16h
AP – Macapá – Praça da Bandeira | 16h
PA – Abaetetuba – Praça do Barco | 15h
PA – Altamira – Concentração na Equatorial Energia | 8h
PA – Belém – Praça da República | 8h
PA – Cametá – Praça das Mercês | 8h
PA – Castanhal – Praça Estrela | 16h
PA – Marabá – Em frente ao Centro de Convenções | 8h
PA – Santarém – Praça de Eventos | 17h30
TO – Araguaina – Praça das Bandeiras | 16h
TO – Palmas – Av. Juscelino Kubitschek – em frente ao Palácio Araguaia | 9h
RO – Guajará-Mirim – Parque Circuito | 9h30
RO – Porto Velho – Em frente à praça da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré | 8h

Nordeste
AL – Delmiro Gouveia – Câmara dos Vereadores | 9h
AL – Maceió – Praça Centenário (carro, moto ou a pé) | 9h
AL – Maceió – Praça dos Martírios | 9h
AL – Maceió – Monumento a República (carreata) | 15h
BA – Feira de Santana – Em frente a Prefeitura | 9h
BA – Ilhéus – Praça Caiuru | 10h
BA – Salvador – Largo do Campo Grande | 10h
CE – Fortaleza – Carreata Arena Castelão | 15h
CE – Fortaleza – Praça da Gentilândia | 15h30
CE – Juazeiro do Norte – Praça da Prefeitura | 8h
MA – Imperatriz – Praça de Fátima | 9h
MA – São Luís – Praça Deodoro até a Praça Maria Aragão | 9h
PB – Campina Grande – Praça da Bandeira | 9h
PB – João Pessoa – Carreata Praça da Independência (até Parque da Lagoa) | 09h
PB – João Pessoa – Concentração Lyceu Paraibano | 8h30
PB – Patos – Correios | 8h
PE – Recife – Praça do Derby | 9 h
PE – Caruaru – Centro | 9h
PE – Garanhuns – Centro | 9h
PI – Teresina – Praça Rio Branco | 8h
RN – Mossoró – Praça Cícero Dias | 16h
RN – Natal – Em frente ao Midway Mall | 15h
SE – Aracaju – Praça de Eventos entre os Mercados | 8h

Centro-Oeste
DF – Brasília – Carreata Palácio do Buriti (até a Esplanada) | 8h30
DF – Brasília – Museu Nacional | 9h
GO – Goiânia – Praça Cívica | 9h
MS – Aquidauana – Praça dos Estudantes | 9h
MS – Campo Grande – em frente a UFMS | 8h
MS – Corumbá – Centro – 9h
MS – Dourados – 9h
MS – Três Lagoas – Praça Ramez | 9h
MT – Cuiabá – Carreata saindo da UFMT | 9h
MT – Cuiabá – Praça Alencastro | 15h
MT – Rondonópolis – Panfletaço Praça do Centro | 9h

Sudeste
ES – Vitória – UFES | 15h
MG – Alfenas – Praça Getúlio Vargas | 15h
MG – Barbacena – Praça da Matriz | 10h
MG – Bambuí – Entrada da Cidade | 16h
MG – Belo Horizonte – Praça da Liberdade | 10H
MG – Caratinga – Praça da Estação | 15 H
MG – Divinópolis – Praça da Catedral | 9h
MG – Formiga – Praia Popular | 10h
MG – Governador Valadares – Praça dos Pioneiros | 9h
MG – Ipatinga – Praça Primeiro de Maio | 10h
MG – Itabirito – Em frente à Prefeitura | 8h
MG – Itaúna – Praça da Matriz – 10h
MG – Juiz de Fora – Parque Halfeld | 10h30
MG – Lafaiete – Praça Barão de Queluz | 9h
MG – Leopoldina – Praça José Pires, viaduto do Bela Vista | 10h
MG – Mariana – Praça da Sé | 9h
MG – Montes Claros – Praça Dr. João Alves | 9h
MG – Muriaé – Parque de Exposições | 10h
MG – Ouro Preto – Praça Tiradentes | 10h
MG – Passos – Praça do Rosário | 15h
MG – Poços de Caldas – Parque José Afonso Junqueira | 15h
MG – Pouso Alegre – Praça da Catedral | 10h
MG – São João Del Rei – Teatro Municipal | 10h
MG – Teófilo Otoni – Praça Tiradentes | 9h
MG – Uberaba – Praça Rui Barbosa | 11h
MG – Uberlândia – Praça Ismene Mendes | 10h
MG – Varginha – Praça do ET | 10h
MG – Viçosa – 4 Pilastras | 9h30
RJ – Campos – Praça São Salvador | 10h
RJ – Macaé – Praça Veríssimo de Melo | 9h30
RJ – Miracema – Posto Confiança | 15h
RJ – Nova Friburgo – Centro de Turismo na Praça Getúlio Vargas | 16h
RJ – Petrópolis – Praça da Inconfidência | 11h
RJ – Rio das Ostras – Feira Livre da Âncora | 9h
RJ – Rio de Janeiro – Monumento Zumbi dos Palmares | 10h
RJ – Santo Antônio de Pádua – Centro | 10h
RJ – Teresópolis – Escola Sakura Ermitage | 9h30
RJ – Volta Redonda – Praça Juarez Antunes | 16h30
SP – Assis – Em frente ao Homem de Lata (Av. Rui Barbosa) | 10h
SP – Campinas – Largo do Rosário | 10h
SP – Guaratinguetá – Em frente a FEG/UNESP | 10h30
SP – Ilha Bela – Praça da Mangueira (em frente ao colégio ACEI) | 9h
SP – Indaiatuba – Rua João Martini (esquina Av. Ário Barnabé) | 14h
SP – Itapetininga – Fórum | 15h30
SP – Jacareí – Pátio dos Trilhos | 10h
SP – Limeira – Praça Toledo de Barros | 9h
SP – Marília – Ilha ao lado da Galeria Atenas | 10h
SP – Peruíbe – Faixaço na Passarela em frente ao kartódromo ao lado da Faculdade Peruíbe | 14h
SP – Praia Grande – Quadradão do Quietude | 11h
SP – Praia Grande – Estátua Yemanjá | 13h
SP – Ribeirão Preto – Esplanada do Teatro Pedro II | 10h
SP – Rio Preto – Praça José Marcondes | 16h
SP – Santos – UNIFESP | 15h
SP – Santos – Estação Cidadania | 16h
SP – São Bernardo do Campo – Paço Municipal de SBC | 10h
SP – São José dos Campos – Praça Afonso Pena | 10h
SP – São José dos Campos – Rodovia Carvalho Pinto | 9h
SP – São Paulo – MASP | 16h
SP – São Roque – Carreata Concentração na Brasital | 9h
SP – Sorocaba – Praça Coronel Fernando Prestes | 10h
SP – Taubaté – Praça Dom Epaminondas | 10h
SP – Ubatuba – Trevo do Caiçara – Centro | 16h
SP – Vinhedo – Praça Santana | 8h

Sul
PR – Cascavel – Calçadão Av. Brasil | 10h
PR – Curitiba – Praça Santos Andrade | 16h
PR – Ponta Grossa – Praça Barão de Guaraúna | 16h
PR – Maringá – Praça Raposo Tavares | 10h
SC – Balneário Camboriú – Praça Tamandaré | 10h
SC – Blumenau – Praça Carlos Gomes | 10h
SC – Brusque – Esquina Getúlio Vargas com Primeiro de Maio | 9h
SC – Chapecó – Carreata EFAPI-Centro e faixaço/bandeiraço nas Sinaleiras da Avenida Getúlio Vargas | 10h
SC – Criciúma – Parque das Nações (carreata) | 9h
SC – Itajaí – Calçadão da Hercílio | 9h
SC – Jaraguá do Sul – Praça Ângelo Piazera | 9h
SC – Florianópolis – Largo da Alfândega | 10h
SC – Joinville – Praça da Bandeira | 10h
SC – Rio do Sul – Praça Ermembergo Pellizzetti | 9h
RS – Caxias do Sul – Praça Dante Alighieri | 15h
RS – Passo Fundo – Praça da Mãe | 8h
RS – Porto Alegre – Prefeitura | 15h

🌎🌍 Atos no Exterior
28M
Alemanha – Berlim – Em frente à Embaixada Brasileira Wallstrasse 57, 10197 Berlin | 13h

29M
Espanha – Barcelona – Plaça D’antonio López (Correos) | 15h
Espanha – Palma de Maiorca – Plaza d’Espanha | 19h
EUA – Nova York – Union Square | 16h
França – Paris – Place de Republiqué | 17h
Holanda – Amsterdam – Dam 1 | 15h
Portugal – Porto – Alameda de Dom Afonso Henriques | 17h30
Suíça – Zurich – Estação Principal de Zurich | 11h
Uruguay – Montevideo – Embaixada Brasileira – Bulevar General Artigas 1394 | 12h

Categorias
Solidariedade

Em Uberlândia, CMP lança nova cozinha comunitária

Nesta segunda-feira (24/05), dando continuidade às ações de solidariedade durante a pandemia da Covid-19, a Central de Movimentos (CMP) lançou uma nova Cozinha Comunitária na cidade de Uberlândia, na Igreja Nossa Senhora da Abadia, bairro da Morada Nova. A CMP nacional apoiou com a compra do fogão industrial, panelas, pias, torneira e vasilha, itens necessário para o funcionamento do projeto. A iniciativa é da CMP em parceria com a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e a Ação Franciscana de Ecologia e Solidariedade (AFES), e com apoio da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Uberlândia (ADUFU) e do Sindicato dos Trabalhadores Técnico Administrativos da Universidade Federal de Uberlândia (Sintet). Estão sendo atendidas famílias moradoras de favelas e bairros da periferia de Uberlândia, que estão desempregadas, sem renda e sem acesso ao auxílio emergencial. No primeiro dia de funcionamento, foram distribuídas 230 refeições. O ato de lançamento contou com a participação de Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.

“Estamos desde março do ano passado trabalhando com cozinhas comunitárias. Preocupados com a situação do povo, da miséria, da fome, nesse contexto de pandemia, resolvemos fazer diversas ações, e uma delas, que tomou uma dimensão muito grande, foi essa da cozinha comunitária de Uberlândia”, conta Abraão Nunes, da CMP de Uberlândia (veja aqui reportagem sobre a ação desde 2020). Ele explica que esta nova cozinha atende três ocupações da região da Nova Morada. “O próprio bairro tem muita gente carente, com a pandemia, sendo um bairro distante, de pouco trabalho e emprego, a situação ficou difícil. Então seguimos a orientação da CMP nacional e nos integramos à campanha de solidariedade, à campanha contra a fome e contra o Bolsonaro também. Porque a maior parte dos problemas que estamos vivendo hoje, da miséria, da fome, das pessoas que estão morrendo por falta de atendimento, por falta de vacina, é desse governo genocida”, complementa.

Abraão Nunes ressalta que o contexto político de Uberlândia torna a situação ainda mais difícil, pois “prefeito, governador e presidente são da mesma linha política”. Isso fez com que a cidade tivesse números de casos e óbitos por COVID-19 muito acima da média nacional.

Assim, a cozinha comunitária é mais um passo no enfrentamento para mudar tal realidade. “Inicialmente, a ideia era servir 150 marmitas, mas servimos 230 na segunda e estamos na faixa de 250. Uma inovação que trouxemos é usar vasilhas de plástico para as pessoas levarem comida. Cada pessoa que se cadastra, pega a comida numa vasilha, traz de volta e pega outra com comida. Estão trazendo de volta limpinha, esterilizamos e entregamos novamente. É questão ambiental e de economia, pois os marmitex são muito poluentes e caros”, explica.

Alimentos como verduras e legumes são comprados de três assentamentos da Reforma Agrária da região. “Temos uma relação forte com os assentamentos daqui, e tem pessoas de lá que são ligadas à CMP e estão vindo ajudar na cozinha. Compramos os alimentos e recebemos também muita doação do pessoal, além do que compramos, trazem a mais para nós. É uma tarefa difícil, não é fácil administrar uma cozinha. Precisa de muito apoio, vamos construindo aos poucos, mas estamos recebendo bastante doação e todas as pessoas que trabalham são voluntárias, das comunidades daqui, todas trabalhando pelo bem comum”, completa Abraão Nunes.

Para contribuir com a cozinha, doações podem ser realizadas por transferência bancária para a CMP de Uberlândia. Os dados são:

CMP TRIÂNGULO
CEF
Conta: 939-0
Operação: 003
Agência: 2494
PIX……..CNPJ
02224726000133

Confira abaixo algumas fotos da cozinha comunitária.

Categorias
Lutas Solidariedade

CMP participa de ato em Brasília em defesa do auxílio emergencial de R$ 600, aceleração da vacinação e apoio à CPI da Covid-19, e distribui cestas de alimentos saudáveis

Nesta quarta-feira (26/5), a Central de Movimentos Populares (CMP) participou de ato organizado pelas centrais sindicais e movimentos populares e sociais, em frente ao Congresso Nacional, em defesa do auxílio emergencial de R$ 600, da aceleração da vacinação, em apoio à CPI da Covid-19 e contra a PEC 32 (da contra-reforma administrativa). Houve também a distribuição de 3 toneladas de alimentos de assentamentos da Reforma Agrária, organizados pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, pela Fetraf e Contag. 600 cestas básicas de alimentos saudáveis foram doadas para a Associação de Moradores do DF e Entorno (AMORA), filiada à CMP, para o Centro de Cultura e Desenvolvimento do Paranoá (Cedep Paranoá) e para Central de Cooperativas de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis- Centcoop.

“É a articulação campo-cidade, reunindo movimento populares e movimento sindical, em um ato contra todos os desmandos desse governo, os ataques de Bolsonaro aos trabalhadores. Foi um ato muito bonito, representativo, todas as centrais sindicais estavam lá, além de deputados do PT, Psol e PCdoB. A CMP marcou presença com uma boa mobilização, e fomos escolhidos para receber a doação de 600 cestas verdes agroecológicas, ficamos muito honradas com isso. Isso mostra que nossa articulação está cada vez mais fortalecida. Quando o governo falta, o povo se une. E essa solidariedade de classe há de fazer a gente resistir melhor e mais fortemente a esse momento tão tenebroso de nossas vidas”, explica Cris, da CMP-DF. Confira abaixo imagens do ato.

Em 29/5, os movimentos populares e sindical voltarão às ruas de todo o país para seguir na luta pelo Fora Bolsonaro e em defesa da vida. Confira neste link – https://cmpbrasil.org/2021/05/24/cmp-na-luta-por-fora-bolsonaro/ – a lista completa e atualizada de todos os atos previstos.

Categorias
Lutas

PL que suspende despejos na Pandemia é aprovado na Câmara dos Deputados!

Com 263 votos a favor, 181 contra e 05 abstenções, em votação histórica, Câmara dos Deputados aprova PL 827/2020, que suspende os despejos durante a pandemia. A proposta vai agora para o Senado depois de sua aprovação segue para sanção presidencial.

Esta foi uma primeira vitória, há ainda, muita luta pela frente. Abraços e agradecimentos à jovem Deputada Natália Bonavides PT e ao Deputado Paulo Teixeira do PT, ao Relator Camilo Capiberibe PSB, e a todos os deputados e deputadas do PT, PSOL, PCdoB, PSB, e demais partidos, que lutaram incansavelmente por este Projeto.

O PL 827/20, apensou diversos outros que tratavam do mesmo tema na Câmara, sua aprovação é uma enorme vitória dos Movimentos Urbanos e Rurais, que desde o início da pandemia da Covid 19, lutam por uma medida efetiva que suspenda os despejos, no país.

Neste período, dezenas de Movimentos urbanos e rurais, Universidades, Defensorias Publicas, Fóruns, Articulações, Redes Nacionais, Associações, Entidades de Direitos Humanos e ONGs, construíram uma Campanha Nacional denominada “Despejo Zero: em defesa de vida no Campo e na Cidade”. Esta Campanha tem sido fundamental para denunciar, monitorar e dar visibilidade para esta grave violação direito à moradia que tem lamentavelmente jogado milhares de pessoas nas ruas, nestes tempos da pandemia.

Milhares de pessoas têm sido mobilizadas para lutar contra os despejos em todas as regiões do Brasil. Neste momento pelo levantamento da Campanha Despejo Zero, mais de 12 mil famílias já foram removidas de suas casas e outras 74 mil estão ameaçadas.

O Projeto 827/2020, agora seguirá para o Senado e tudo indica haverá outra batalha, mas movimento popular é resistente e seguirá a mobilização pela sua aprovação.

DespejoZero #Despejonapandemiaécrime

https://www.campanhadespejozero.org/

SP 18/05/21.

Dito advogado da UMM, do Centro Gaspar Garcia de DH e Coordenador da CMP da Capital de SP.

Categorias
Solidariedade

CMP realiza distribuição de 2 mil cestas básicas na cidade de São Paulo

A Central de Movimentos Populares (CMP) realizou, neste início de maio, uma nova distribuição de cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade na cidade de São Paulo. Foram distribuídas duas mil cestas básicas para famílias moradoras de cortiços e ocupações no centro, no Jardim Lapena, na Favela São Remo, na Comunidade X do Morro, na Vila Prudente, na Comunidade Cohab Raposo, na Vila União Nova, no Jardim Celeste, em Heliópolis e no Grajaú. A ação, que integra a campanha Cidade Solidária, da Prefeitura de São Paulo, é fundamental neste momento em que o negacionismo do presidente Jair Bolsonaro leva à perda de milhares de vida, e sua política econômica excludente e voltada para os interesses dos banqueiros e grandes empresários promove a volta da fome no país.

A demora na compra de vacinas é mais uma expressão da política genocida de Bolsonaro, e além de tirar mais de 400 mil vidas, atrasa a retomada econômica do país. Além disso, o novo auxílio emergencial não garante o básico para a sobrevivência. Pesquisa recentemente divulgada pelo Instituto Datafolha mostra que 9 em cada 10 pessoas consideram o valor do novo auxílio insuficiente para colocar comida na mesa.

Por isso, desde o início da pandemia, os movimentos populares estão organizados para promover ações de solidariedade, defendendo a vida e lutando pelo fim do governo genocida. Com a campanha “Movimentos Contra a Covid-19”, integrada pela Central de Movimentos Populares (CMP) e outras entidades, foram distribuídas mais de 200 mil cestas básicas, 90 mil marmitex e 50 mil máscaras de proteção confeccionadas artesanalmente.

Para Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP, “não é natural as mortes de mais de 400 mil pessoas. Bolsonaro é responsável por este genocídio, pelo desemprego e pelo sofrimento do povo. Ele está cometendo um crime e, por isso, precisa ser derrubado da Presidência. Fora Bolsonaro”.

Confira as imagens da ação de solidariedade:

Categorias
Solidariedade

Na cidade do Cabo de Santo Agostinho, CMP realiza distribuição de cestas em ação de solidariedade

Nesta semana, a Central de Movimentos Populares (CMP) realizou uma nova ação de solidariedade voltada para famílias brasileiras em situação de vulnerabilidade social. Mais de 50 famílias da cidade do Cabo de Santo Agostinho, PE, receberam cestas básicas regulares, com quase 25 kg de alimentos. A ação foi possível a partir de uma parceria com a prefeitura da cidade e os Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

Confira abaixo algumas fotos da ação.

Categorias
Solidariedade

CMP e FUP promovem ações de solidariedade em 11 cidades por gás a preço justo, comida no prato e vacina no braço!

A Central de Movimentos Populares (CMP) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP) realizaram, na tarde desta quinta-feira (29), uma ação solidaria conjunta, com a venda de botijão de gás de cozinha por menos da metade do preço, cerca de 40 reais, para famílias moradoras em bairros periféricos de 11 cidades do país. Aproximadamente 1.500 famílias em situação de vulnerabilidade social foram beneficiadas com a ação. A atividade incluiu também a distribuição de cestas de alimentos, verduras, legumes e máscaras de proteção. Com o mote: Gás a preço justo, comida no prato e vacina no braço, durante a ação, a CMP e a FUP defenderam vacina já para toda a população e auxílio emergencial de 600 reais até o fim da pandemia. “Foi uma ação muito forte, extraordinária, da CMP e da FUP, justamente nesse dia triste em que o país chegou a 400 mil mortes. Amanhã faremos um ato simbólico para dizer que estamos em luto pela situação em que vivemos, e em luta, pois não podemos deixar passar batido esse triste dado de 400 mil vidas perdidas por irresponsabilidade, pelos crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro”, afirmou Raimundo Bonfim, durante live realizada no fim do dia para avaliar a ação.

As entidades também denunciaram o desmonte das políticas públicas, as privatizações e o negacionismo diante da pandemia de covid-19. Com um valor do botijão de gás que chega a 120 reais em várias regiões do país, o que corresponde a 12% do salário-mínimo, a alta do produto provoca a elevação de preços em outros setores da economia, como os de alimentos e transportes. Ao promover a ação de solidariedade de hoje, CMP e FUP alertaram também a para a privatização da Petrobras e de sua política de seguir o preço de importação.

“É motivo de satisfação para nós realizar essa ação solidária nesse dia de hoje, mostrando que a classe trabalhadora atua para atender também necessidades básicas da população brasileira, em um momento tão difícil como esse. É um momento em que o governo federal não dá a sustentação para o povo brasileiro com uma renda mínima que garanta de fato a sobrevivência. Então nós nos unimos para ajudar as pessoas que mais precisam nesse momento tão difícil que passamos não só no Brasil, mas também no mundo. Mas no Brasil em especial, pois o governo não cumpre o seu papel”, destacou Deyvid Bacelar, coordenador geral da FUP.

A atividade também contou com a participação do Coletivo de Mulheres da CMP. “Esse dia 29 de abril fica marcado na história de todos nós. A luta continua, a luta não para, porque nós somos responsáveis por vida, e não pela morte. Nós do coletivo de mulheres temos travado uma grande luta em prol da vida, em especial das mulheres brasileiras, desempregadas, mulheres negras, da periferia, que a cada dia sofre ataques desse governo que está nos matando”, afirmou Usânia Gomes, da coordenação nacional da CMP e do Coletivo Nacional de Mulheres da CMP.

O coordenador nacional da CMP ressaltou ainda que a ação solidária de hoje “teve o objetivo de ajudar famílias que estão passando por dificuldades, desempregada e sem renda para se alimentar, mas também de denunciar e exigir que Bolsonaro seja processado, afastado da Presidência da República e condenado pelas 400 mil mortes, pelo atraso na vacinação e pela covardia em reduzir o auxílio emergencial, justamente quando nosso país apresenta um cenário de desemprego e fome. Já são 19 milhões de pessoas passando fome”, denuncia Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.

Confira abaixo algumas imagens da ação realizada:

CMP, FUP e Ceprocig realizam ação no Grajaú, zona Sul de São Paulo. Além da venda de botijões de gás a R$ 40, foram entregues cestas de legumes e verduras e cestas básicas para 50 famílias.

Ação de solidariedade em Belém, PA.

Em Fortaleza, CE, a atividade foi na Associação dos Moradores do Jardim Jatobá.

Em Ipatinga, MG, a mobilização por gás a preço justo deu o recado: é Fora Bolsonaro!

A militância em luta em Jaboatão dos Guararapes, PE. Ação da CMP e da FUP vendeu gás a preço justo.

Ação de solidariedade em Brasília, DF.

Em Manaus, AM, as atividades aconteceram pela manhã. É CMP e FUP/Sindipetro unidas por gás a preço justo.

Em Porto Velho, RO, também houve ação de solidariedade da CMP em parceria com a FUP!

Categorias
Sem categoria

Coletivo de Mulheres da CMP lança campanha Mulheres na Luta Contra a Fome

A Central de Movimentos Populares (CMP) reforça as ações de solidariedade que vem promovendo desde os primeiros meses da chegada da pandemia ao país com o lançamento, na noite desta quinta-feira, da campanha Mulheres na Luta Contra a Fome: quem tem fome tem pressa. A campanha é uma iniciativa do Coletivo de Mulheres da CMP e tem o objetivo de arrecadar recursos, por meio de uma conta online no site www.vakinha.com.br (https://www.vakinha.com.br/…/mulheres-na-luta-contra-a…), e ajudar as famílias necessitadas. Representantes de São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Rio de Janeiro participaram do lançamento da campanha.

Os recursos arrecadados serão destinados à compra de alimentos, materiais de higiene e limpeza, máscaras de proteção e outros itens. “Estamos lançando esta campanha, nesta segunda onda da Covid, em que mulheres são as mais afetadas, com desemprego, e por ter que ficar em casa com as crianças, que não estão indo para a creche, principalmente as mulheres periféricas e negras”, afirma Genilce Gomes, do coletivo de Mulheres da CMP.

Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no terceiro trimestre de 2020, a pandemia deixou mais da metade das mulheres fora do mercado de trabalho. Em 2021, mais de um ano de pandemia no país, as mulheres continuam enfrentando dificuldades para voltar ao mercado de trabalho.

Durante o evento, foi denunciado o descaso do governo Bolsonaro no enfrentamento à pandemia, bem como as crises sanitária e social e a insegurança alimentar, destacando-se que segurança alimentar é quando não se tem acesso pleno e permanente a alimentos.

Os números são alarmantes: no fim do ano passado, mais da metade da população brasileira estava nessa situação, nos mais variados níveis: leve, moderado ou grave. E aqueles em situação de insegurança alimentar grave eram 9% da população – ou seja, 19,1 milhões de brasileiros estavam passando fome.

A campanha Mulheres contra a fome se soma a outras ações de solidariedade promovidas pela CMP e seguirá em paralelo às campanhas de luta das quais a CMP faz parte, como a Fora Bolsonaro.

Acompanhe essa e outras ações da CMP pelos sites: https://movimentoscontracovid19.com/www.cmpbrasil.org

Categorias
Lutas

Cartografias do acesso à água na pandemia da Covid-19

Em 2020, com o agravamento das consequências sociais, econômicas e sanitárias, a Central de Movimentos Populares (CMP) integrou a iniciativa de pesquisa e extensão do projeto “Cartografias do acesso à água na pandemia da Covid-19”. Trata-se de uma parceria entre o Laboratório de Justiça Territorial da UFABC/ LabJuta, União dos Movimentos de Moradia, Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos, Universidade de Michigan, Eco-t Ecologia Política Planejamento e Território e a CMP. O projeto teve por objetivos “identificar, compreender e mapear as dificuldades no acesso à água em diferentes formas de moradia precária, durante a pandemia da Covid-19”. Os resultados da pesquisa, que podem ser acessados neste site – https://aguaemoradia.pesquisa.ufabc.edu.br/ – e neste relatório e no relatório publicado aqui – contribuirão com a “luta da população pelo acesso à água limpa, como estratégia de segurança hídrica, bem como contribuir para políticas públicas emergenciais e de longo prazo”. A pesquisa foi Coordenada pelas Professoras da UFABC Luciana Ferrara e Vanesa Empinotti.

Categorias
Solidariedade

CMP realiza campanha de solidariedade em cinco estados da Região Amazônica e distribui milhares de cestas de alimentos e materiais de higiene

A Central de Movimentos Populares (CMP), diante do avanço da COVID-19 na região Amazônica, principalmente nas periferias das cidades e comunidades indígenas e quilombolas, lançou em 22 de maio de 2020 uma campanha de solidariedade de apoio às comunidades urbanas e rurais em cinco estados da região: Pará, Acre, Rondônia, Tocantins e Amazônia. Durante a campanha, a CMP e parceiros distribuíram milhares de cestas básicas de alimentos, máscaras de proteção e kits de higiene (confira os números abaixo). A campanha também organizou produção de máscaras de forma artesanal e voluntária e também a distribuição de frutas e verduras. Em alguns estados, a CMP construiu parceria com o Ministério Público, a Cruz Vermelha, prefeituras e governos estaduais.

A CMP, além de atuar nas cidades da região, tem relação e acompanha diversas comunidades de pequenos agricultores, quilombolas, ribeirinhas e indígenas. Para intensificar as ações de solidariedade, a CMP lançou a ação “Solidariedade na Amazônia” por meio do edital Matchfund Enfrente, iniciativa online destinada a arrecadar fundos para apoiar as ações da CMP nos cinco estados.

Os recursos arrecadados – R$ 30.100,00 – foram utilizados de diferentes formas, como na produção de máscara, gasto com combustível, articular e fortalecer iniciativas de redes de solidariedade na região e na comunicação da campanha, com o objetivo de potencializar as doações de cestas e produtos de limpeza e higiene.

Segundo Paulo Cohen, da direção nacional da CMP e dirigente da CMP-PA, “as ações de solidariedade estão também ligadas ao fortalecimento da organização e luta por direitos, cobrando dos governos que assumam suas responsabilidades”. A ação solidária na região requer muita dedicação e organização, principalmente nas zonas rurais, onde as distâncias são os maiores obstáculos. Na região Amazônica o novo Coronavírus se espalha com rapidez, tendo em vista que a região é marcada pela pouca ou nenhuma infraestrutura de saneamento, sanitária, precárias condições de moradia, saúde e assistência social.

Esta ação de solidariedade da CMP na região Amazônica fez parte da Campanha Movimentos Contra a Covid-19, organizada pela CMP em 20 estados de federação.

“Além da solidariedade, estamos fortalecendo a organização popular e promovendo formação política para enfrentarmos a longa batalha de reconstrução do país no pós pandemia”, afirma Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.

Prestação de contas

Foram 30 dias de campanha de arrecadação, de 23 de Maio a 23 de Junho de 2020, nos quais foi ultrapassada a meta de R$ 20.000,00, sendo arrecadados R$ 30.100,00 já considerado o aporte do Matchfunding Enfrente.

As ações de solidariedade, que já vinham sendo realizadas, tiveram incremento significativo mesmo durante o período da campanha de captação online e seguiram sendo realizadas durante quatro meses após o fim da arrecadação, conforme previsto na proposta. Assim, em alguns lugares foram compradas mais cestas básicas e kits de higiene, em outros o recurso foi para o combustível dos carros que faziam a distribuição, além da utilização para compra de materiais para produção de máscaras por parceiros voluntários. Também foram comprados produtos de higiene para serem usados pelas pessoas que estavam fazendo o trabalho de distribuição nas comunidades.

A visibilidade proporcionada pela campanha chamou atenção de outros atores sociais que estavam na linha de frente do atendimento das populações mais vulneráveis durante a pandemia na região Amazônica, e, antes mesmo da finalização da captação, as parcerias e articulações tiveram início. Assim, a campanha também contribuiu com o fortalecimento das articulações da CMP na região, o que levou a um aumento significativo no número de ações e de doações. Destaca-se o apoio do Unicef, da Ação da Cidadania, da Cruz Vermelha e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Confira algumas imagens das ações.