CAMPANHA SÃO PAULO QUER COMIDA

AÇÃO SOLIDÁRIA NAS PERIFERIAS

Há mais de um ano do início da pandemia do novo Coronavírus, ultrapassamos 400 mil vidas perdidas. Mais do que número, trata-se de nossos/as entes queridos/as: amigos/as, colegas, vizinhos/as, mães, pais, irmãs, irmãos, tios/as, sobrinhos/as, netos/as, avós. Sentimos saudades dos que se foram e estamos preocupados com a fome, pobreza, desemprego e falta de renda para milhões de famílias que enfrentam os efeitos econômicos e sociais da Covid-19.

O coronavírus afeta a todos e todas, sem distinção de classes, porém, os estudos feitos apontam que o vírus mata muito mais nas favelas, cortiços, bairros populares, a população negra e jovem das periferias, justamente nos locais com maior incidência da pobreza, desemprego e ausência de equipamentos sociais e políticas públicas.

Com a finalidade de mitigar os efeitos da maior crise humanitária e sanitária da história do país, principalmente a fome que atinge milhares de famílias na cidade de São Paulo, a Central de Movimentos Populares (CMP), o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e a Marcha Mundial das Mulheres (MMM), se unem e somam forças nesta CAMPANHA SÃO PAULO QUER COMIDA, para arrecadar alimentos e materiais de higiene e limpeza a serem destinados a famílias vulneráveis de comunidades carentes da cidade de São Paulo.

No Brasil, já são mais de 50 milhões de pessoas na pobreza, dos quais 19 milhões passam fome,  sendo a população negra e as mulheres as mais afetadas.  Temos consciência de que só com políticas de geração de emprego e renda, somadas a medidas de proteção social como o auxílio emergencial de R$ 600, teremos condições de acabar com a fome do povo.

No entanto, ao mesmo tempo em que continuamos atuando em defesa de medidas mais estruturais de combate à fome e à pobreza, estamos promovendo esta campanha para ajudar de imediato a quem está com fome e não pode esperar nem mais um minuto.

Ao recebermos os recursos e os alimentos desta ação de solidariedade, vamos direcionar diretamente para os grupos populares, adotando como critério a vulnerabilidade social, buscando chegar a quem mais precisa, seja em forma de cestas básicas,  kits de material de higiene e limpeza, compra de tecido para a produção de máscaras, seja na área de comunicação e articulação com vistas a conseguir mais doações junto aos governos e instituições da sociedade civil.

As associações e grupos locais farão a distribuição para as famílias. As ações serão divulgadas em nossos site, por meio de vídeos, fotos e textos. Também divulgaremos por nossos canais de comunicação e o site movimentoscontracovid19.com, a prestação de contas, que mostrará o caminho desde a doação até o recebimento da ajuda pelas famílias.

Pretendemos ajudar essas famílias desempregadas, sem renda ou com baixa renda, a ter as mínimas condições de suportar este momento tão difícil em suas vidas.

Os alimentos serão destinados para as comunidades carentes com as quais as três entidades atuam, como a favela Heliópolis, favela São Remo, favela Real Parque (comunidade indígena Pankararu), favela da Paz; Bairros da Vila Bela, Jardim Celeste, Grajaú, Brasilândia, Jaguaré, Perus, Vila Itaim, Jardim Lapena, União da Vila Nova, comunidade Jardim Jaqueline, Cidade Tiradentes, cortiços e ocupações no centro de São Paulo. PEDIMOS QUE NOS AJUDE COM O QUE VOCÊ TEM E NÃO COM O QUE SOBRA.

Como você pode ajudar a CAMPANHA SÃO PAULO QUER COMIDA?

Com doação em dinheiro ou com alimentos e outros materiais não perecíveis nos endereços indicado abaixo.

Conta bancária:

Banco Bradesco – Código 237

Central de Movimentos Populares do Estado de São Paulo CNPJ: 02.177.766/0001-71

Agência: 0120-1

Conta corrente: 112.040-9

Ou pela vaquinha virtual: www.vakinha.com.br/sao-paulo-quer-comida/

Locais para entrega de alimentos:

Rua Fiação da Saúde, 335 – Jardim da Saúde – próximo à estação Metrô Saúde (sede da CMP), de segunda a sábado, das 10h às 17h. Contato Miriam: (11) 97727-2882

Rua Boipeva, 625 – Cidade Antônio Estevão de Carvalho (Associação Projeto Amigos do Biluca), de segunda a sábado, das 9h às 19h. Contato Tamires/Ailsa: (11) 94899-7487

Avenida Senador Teotônio Vilela, 4029 (Residencial Nações Unidas), ao lado do Terminal Grajaú – Cidade Dutra, de segunda a sexta, das 9h às 17h. Contato: Ubiratã (11) 96379-7429.

Rua Ministro costa e Silva, 36, Pinheiros, São Paulo , às segundas e quartas, das 10h às 18h. Contato: Maria Fernanda (11) 98173-8112

Materiais da campanha

Carta da campanha

Acesse a versão em pdf da carta de divulgação aqui.

Cards:
Banner:

Acesse aqui.