Categorias
Sem categoria

SP: alunos sofrem com a falta de alimentação escolar

Fonte: CDHEP

Alunos da rede pública de ensino de São Paulo receberão auxílio alimentação. O CDHEP acredita que o benefício criado para minimizar o impacto socioeconômico da falta de merenda durante a suspensão das aulas por conta da pandemia de coronavírus é essencial, mas precisa ser estendido a todos os estudantes. Pois, mesmo famílias que não estão na linha da extrema pobreza, vão ter dificuldades econômicas para se sustentar, já que o consumo alimentar em casa aumenta e muitos estão sem poder trabalhar regularmente. O subsídio da maneira como está sendo fornecido não leva em conta a situação de muitos pais e mães de alunos das redes públicas que estão com contratos de trabalhos suspensos, os que foram demitidos e dos que trabalhavam como autônomos e estão sem renda nesse período de distanciamento social. Além de contrariar o direito à alimentação que deve ser garantido a todos os estudantes das redes públicas, conforme a Lei 11.947/2009, que instituiu o Programa Nacional de Alimentação Escola.

Acesse a matéria que o CDHEP preparou sobre esse tema: http://cdhep.org.br/alunos-da-rede-publica-de-ensino-de-sao-paulo-receberao-auxilio-alimentacao/

Categorias
Sem categoria

CMP promove ação de solidariedade em Brasília

Diante da pandemia do novo Coranavírus são as famílias mais vulneráveis que sofrem mais as necessidades do dia a dia, as condições de vida já não eram favorável, mas com a Covid-19 tudo piorou para esta população, o acesso a renda básica é quase impossível, é muita burocracia. Aplicativos, sites, são muito fora de nossa realidade da maioria do povo empobrecido. Cristiane Pereira dos Santos, a Cris, presidenta da AMORA (Movimento de Moradia do DF e Entrono) afirma: “Os desafios primordiais e urgentes são: ajudar a matar a fome e cobrar do estado um olhar para o povo mais vulnerável. A dirigente pontua que “na pandemia e fora dela é possível fazer políticas públicas de inclusão se a prioridade do governo não for os mais ricos”.

Outro exemplo de solidariedade promovido pela CMP-DF ocorre na cidade Estrutural. Lá a CMP reuniu pessoas contempladas pela campanha de solidariedade para produzir sabão em pó de forma artesanal. Darly, da direção nacional da CMP e uma das coordenadoras da ação, afirma: “Pela grande necessidade, decidimos fazer o próprio sabão para as famílias usarem em casa”. Uma experiência muito legal, ressalta a dirigente da CMP. Essa ação é uma demonstração de que iniciativas coletivas contribuir para enfrentar a dura realidade pela qual passa a população mais empobrecida de nosso país. Lembremos sempre que ações de solidariedade são importantes, mas não deixamos de cobrar do Estado sua responsabilidade.

Categorias
Sem categoria

CMP arrecada recursos para apoiar famílias em todo o país – contribua!

Acesse a vaquinha on-line da CMP aqui: http://vaka.me/978192

Outra forma de contribuir é por depósito em conta: Bradesco. Código do Bradesco: 237 | Agência: 0120-1 | Conta Corrente: 112040-9 | Central de Movimentos Populares do Estado de São Paulo: CNPJ 02.177.766/0001-71

Diante da crise da pandemia do Coronavírus (COVID-19) e da lentidão dos governos no apoio aos grupos mais vulneráveis, a Central de Movimentos Populares (CMP) criou esta ação social para apoiar centenas de famílias em situação de alta vulnerabilidade em todo o país. A iniciativa visa conseguir viabilizar a distribuição de cestas básicas de alimentos e produtos perecíveis (que garantam a “mistura” na refeição), além de materiais de higiene e limpeza. O público alvo são famílias que vivem nas favelas, ocupações, cortiços e periferias das cidades onde a CMP atua diretamente ou por meio de suas organizações filiadas. Acesse a vaquinha on-line da CMP aqui: http://vaka.me/978192

Desde 1993, a CMP atua com associações de base e movimentos populares nas periferias. Hoje, estamos em 16 estados brasileiros, com grupos populares de moradia, saúde, mulheres, juventude, população negra e LGBT, dentre outros, em luta por direitos e políticas públicas. Nos últimos dias, temos recebido pedidos de ajuda, vindos das famílias atendidas por nossas associações de moradores, grupos das periferias e de ocupações e favelas. São justamente as famílias mais vulneráveis das grandes cidades brasileiras, ou seja, exatamente quem mais precisa de solidariedade nesse momento de isolamento social por causa do Coronavírus. Diante disso, criamos uma campanha “Movimentos Populares contra o Covid-19” e de um site – https://movimentoscontracovid19.com/ – com mapeamento e divulgação de pontos de arrecadação de doações. Estamos identificando as necessidades de cada grupo para, a partir dessas informações, promover a distribuição das doações, com o objetivo de mitigar os efeitos da pandemia. 

Ao recebermos os recursos desta ação de solidariedade, vamos direcionar diretamente para os grupos de base, adotando como critério a vulnerabilidade social, buscando chegar em quem mais precisa. Com o recurso, vamos comprar os itens para formar as cestas de doação, e nossas associações de base farão a distribuição para as famílias. As ações serão sempre divulgadas no site https://movimentoscontracovid19.com/, por meio de vídeos, fotos e textos. Também divulgaremos pelo site a prestação de contas, que mostrará o caminho desde a doação até o recebimento da ajuda pelas famílias. Pretendemos ajudar essas famílias desempregadas ou com baixa renda a ter as mínimas condições de suportar o isolamento em suas casas, uma das medidas para evitar a contaminação do vírus em massa, recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde). 

Temos consciência de que ações como esta são importantes e fundamentais do ponto de vista da solidariedade, mas insuficientes para o enfrentamento da pandemia do coronavírus. Por isso também exigimos que o Estado assuma sua responsabilidade e tome medidas concretas. Desde nossa fundação, buscamos articular os movimentos e fortalecer as lutas por direitos e políticas públicas com participação popular, na perspectiva de superar a desigualdade social, a pobreza e a concentração de renda. 

Ajude a CMP em mais esse enorme desafio. Ao contribuir com nossa vaquinha, a doação chegará a quem mais precisa.

Depósito em conta: Bradesco. Código do Bradesco: 237 | Agência: 0120-1 | Conta Corrente: 112040-9 | Central de Movimentos Populares do Estado de São Paulo: CNPJ 02.177.766/0001-71

Acesse a vaquinha on-line da CMP aqui: http://vaka.me/978192

Categorias
Sem categoria

Coronavírus: Sem-teto arrecadam mais de 3 mil cestas básicas para periferias de SP

Confira reportagem publicada no portal G1 sobre nossas ações!

Ação foi realizada por diversos movimentos populares que atuam em favelas, cortiços e ocupações, em benefício de famílias em situação de vulnerabilidade. Leia aqui.

Categorias
Sem categoria

União dos Movimentos de Moradia entrega 1550 cestas básicas nas periferias de São Paulo nesta terça

+++ Você pode ajudar nas próximas! Contribua com a nossa vaquinha on-line: http://vaka.me/974021

A União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM-SP) dá continuidade nesta terça (7/4) à ação social de distribuição de cestas básicas em regiões onde atua, com enfoque nas ocupações urbanas (de prédio e terra) favelas e mutirões autogestionários. A partir das 11h, serão entregues 1550 cestas em todas as regiões da capital paulista. Serão 300 na região Sudeste, 340 na Sul, 400 na Oeste, 110 na regial central, 250 na Leste e 150 direcionadas para população idosa.

Com uma atuação de mais de 30 anos nas periferias da cidade, a UMM está com um trabalho permanente de identificar as regiões e famílias mais vulneráveis, para que as doações cheguem em quem mais precisa. Nossas lideranças, que atuam em todas as regiões de São Paulo, estão em um intenso trabalho de levantamento de informações sobre as necessidades da população mais vulnerável, e a partir disso realiza esta ação de distribuição que visa minorar os efeitos econômico-sociais da propagação do COVID-19.

A iniciativa faz parte de um conjunto de ações dos movimentos populares urbanos para enfrentar os efeitos do COVID-19. Para além da solidariedade, precisamos seguir em luta para que o Estado cumpra seu papel, com a efetivação de políticas públicas que diminuam o impacto econômico-social no cotidiano das famílias, e uma completa mudança da política macroeconômica federal, que passe a ser orientada pelas necessidades das classes populares, e não pelos interesses do mercado financeiro. Para garantir saúde para toda a população, é fundamental, por exemplo, que todas as famílias tenham moradia digna e acesso a um sistema público de saúde universal e gratuito, de modo que junto a medidas como a “renda básica emergencial”, é preciso retomar políticas como o Minha Casa Minha Vida Entidades e derrubar a Emenda Constitucional 95. Também é preciso reforçar a luta pela função social da propriedade para que terrenos e prédios vazios possam abrigar quem não tem moradia.

Nosso trabalho de arrecadação e distribuição irá continuar nas próximas semanas e envolve a capital, a região metropolitana de São Paulo, o litoral e o Interior, pelas macrorregionais: Baixada Santista, ABC, Campinas, Americana, Sudoeste, Sertãozinho e Ribeirão Preto. Solicitamos que o apoio de toda sociedade fique ainda mais forte. Quem tiver condições de fazer uma doação, contribua com a nossa vaquinha on-line: http://vaka.me/974021

Para obter mais informações, entre em contato com um dos coordenadores abaixo:

Coordenação Executiva
Evaniza: (11) 97358-1689
Cristiane: (11) 97221-9749
Graça Xavier: (11) 99157-0100
Donizete: (11) 97230-5894
Dito: (11) 97418-7161
Sidnei: (11) 96158-2604
André: (11) 96847-1173

A UMM-SP

A UMM foi fundada em 1987 com o objetivo de articular e mobilizar os movimentos de moradia, lutar pelo direito à moradia, por reforma urbana e autogestão e assim resgatar a esperança do povo rumo a uma sociedade sem exclusão social. É uma articulação de movimentos que atuam na área de favelas, cortiços, sem-teto, mutirões ocupações e loteamentos. Sua atuação iniciou-se pela capital e Região Metropolitana e hoje atinge a outras regiões do estado. Sempre defendendo a proposta autogestionária, o direito à moradia e à cidade e a participação popular nas políticas públicas, a UMM organiza-se em torno desses princípios comuns que se traduzem em reivindicações, lutas concretas e propostas dirigidas ao poder público nas três esferas de governo. Nesse sentido, tem enfrentado as diferentes gestões, ao longo desse tempo, buscando a negociação e a ação propositiva, sem deixar de lado as ferramentas de luta e pressão do movimento popular. Desse trabalho, resulta a conquista de cerca de 30 mil moradias construídas em mutirão ao longo dessa caminhada, diversas favelas urbanizadas, prédios reformados para fins habitacionais, incidência na construção de programas e legislação habitacional, como o Minha Casa Minha Vida Entidades.

Categorias
Sem categoria

Campanha Cohab Raposo contra o Coronavírus

Não deixar faltar o prato de comida!

Diante do crescimento da pandemia no Brasil, nós do Espaço Cultural Cachoeiras, grupo formado por moradores da Cohab Raposo Tavares, nos organizamos para auxiliar as famílias comprando e entregando alimentos, material de higiene, oferecendo orientações e apoio nesse momento tão difícil.

Essa campanha tem como meta utilizar o valor para fornecer alimentação mais material de higiene por pelo menos 2 meses para até 200 famílias, e comprar material de EPI (Proteção) necessário para as pessoas que estarão trabalhando nessa ação.

As famílias que manifestarem interesse no alimento serão cadastradas para que os recursos cheguem onde é prioridade. A prestação de contas da campanha será divulgada em facebook.com/ecachoeiras

Cohab Raposo contra o Corona Vírus clique para doar 👉🏿 http://vaka.me/974776

Quer entregar uma doação de alimentos? :
Travessa Riacho Seco 53 Com Thatiane
ou na mesma rua no número 46 com Francis.
CEP 05574-420 COHAB RAPOSO TAVARES das 09h as 20h. – Contato da Campanha – 95064-3907

Categorias
Sem categoria

Sindipetro-SP faz doação de cestas em Heliópolis, favela de São Paulo

Em cumprimento ao papel cidadão, função de qualquer organização social, o Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo entregou na quarta-feira (1/4), mais de 180 itens entre alimentos, produtos de higiene e de limpeza, para serem distribuídos na comunidade de Heliópolis. Se você quer contribuir também, pode deixar aqui nos comentários ou acessar o site www.sindipetrosp.org.br e entre em contato por um dos e-mail.

📽Confira como foi e vídeo publicado na página do Facebook do Sindicato: https://www.facebook.com/sindipetrosp/videos/203803784252159/?sfnsn=wiwspmo&extid=MWZ7uy6xMC4vfP3Z&d=n&vh=e

Categorias
Sem categoria

Ocupações Mauá, Prestes Maia e Ipiranga recebem doações

Confira nas imagens a campanha de arrecadação das Ocupações Mauá, Prestes Maia e Ipiranga, no Centro de São Paulo.

Categorias
Sem categoria

Ação emergencial em defesa da subsistência de camelôs, ambulantes e feirantes do Brasil diante da crise do COVID-19

Quem puder ajudar nosso fundo de emergência, estamos com uma vaquinha para ajudar nacionalmente ambulantes com artigos de primeira necessidade, que serão distribuídos por meio das nossas organizações. http://vaka.me/949320

A União Nacional de Trabalhadoras/es Camelôs, Ambulantes e Feirantes do Brasil – UNICAB vem a público em meio a crise gerada pelo Coronavirus para informar da grande preocupação que temos com os/as trabalhadores/as da economia informal e a vulnerabilidade a que estão expostos. Nós ambulantes, seguimos expostos/as ao contágio trabalhando nas ruas porque não podemos parar, já que dependemos da venda do dia para comer de noite. Mesmo sabendo que a medida de distanciamento social é a estratégia de contenção ao alastramento do contágio, não temos escolha. Também muito preocupante é o isolamento e a paralisação da economia que significa a impossibilidade de tirar nosso sustento e sobreviver.

Diante dessa situação emergencial chamamos a solidariedade da sociedade e a ação dos governos para impedir que trabalhadores/as da economia informal, sem direitos trabalhistas assegurados, apesar do trabalho duro e de sua contribuição para a movimentação da economia do país, passem por uma situação de escassez extrema e alta vulnerabilidade. São milhões de famílias que ficarão em poucos dias sem nenhuma fonte de sustento. Precisamos agir rápido.

A Unicab propõe que o poder público tome responsabilidade pela situação de emergência que se encontram trabalhadores/as da economia informal e aumente o gasto público para conter a crise implementando imediatamente uma renda básica de emergência aos trabalhadores/as do comércio informal, a isenção de contas de energia elétrica e de água (proibição do corte) e vale gás, que proíba despejos, anistia de aluguéis camelódromos e shoppings populares e distribua cestas básicas.

Além disso, criamos um fundo emergencial para camelôs, ambulantes e feirantes. Pedimos a solidariedade de todos/as para que contribuam clicando aqui: http://vaka.me/949320 . O auxílio será usado para cestas básicas, medicamentos e gastos emergenciais dessas/es trabalhadoras/es no Brasil.

Assim poderemos coletivamente atravessar essa crise.